Secretaria de Cultura do Estado do Amapá
GALERIA DE FOTOS
Data do Evento: 28/05/2021 - Local: Macapá - 22

Danniela Ramos
A Secult/AP, através da lei Aldir Blanc, concede o prémio "Maestro Siney Saboia" à Danniela Ramos, a musa do Marabaixo do Amapá.
Pra cantar “Ladrão” de Marabaixo não é preciso ser cantora, os versos podem ser tirados por quem tiver o refrão na ponta da língua, imaginação, raiz cultural e talento que permita o improviso. Tudo isso Danniela Ramos tem de sobra. Neta da Tia Biló (única filha viva do Mestre Julião - Matriarca do Marabaixo do Laguinho) e Bisneta do Mestre Julião Ramos (grande precursor do Marabaixo no Amapá e líder negro no bairro do Laguinho), nascida no Laguinho em 20 de março, se criou entre caixas de Marabaixo, bandeiras, Santos e tudo o que mantém a tradição amapaense viva, além do sangue que carrega na veia dos negros escravizados que trouxeram para o Laguinho a festividade de tradição secular Ciclo do Marabaixo, que mescla a religião e o lúdico. Danniela foi uma das poucas jovens que se entregou completamente para que os festejos da tradicional festa secular Ciclo do Marabaixo em homenagem ao Divino Espírito Santo e a Santíssima Trindade, fosse a mais organizada e bonita festa da cidade. Ela foi coordenadora geral do Ciclo do Marabaixo do Laguinho por 10 anos (2003 à 2013) ainda quando presidia a Associação Folclórica Raimundo Ladislau, a primeira entidade voltada para difusão e valorização do nosso Marabaixo a ser fundada no Amapá, em agosto de 1988. E se a juventude hoje é tão engajada, tão comprometida e carrega dentro de si esse sentimento de pertencimento, foi pela importante contribuição desta grande mulher. Danniela também foi a primeira marabaixeira a ministrar oficinas de Marabaixo para criancas de 02 a 12 anos de idade, inicialmente no fundo do quintal da casa de sua avó no Laguinho no ano de 2000, depois no Centro de Cultura Negra do Amapá, sempre nas tardes de sábado, e muitas dessas crianças hoje se tornaram jovens assíduos nas rodas de Marabaixo, e comprometidos com a difusão, valorização e perpetuação da nossa cultura, esses jovens hoje dançam, cantam e tocam a nossa tradição.
Danniela Ramos é formada em Gestão Pública pela Unopar e preside a Associação Cultural Marabaixo do Laguinho - ACULTMAR, fundada por ela mesma no ano de 2000. Laguinhense da gema, tem orgulho de ser negra e levantar a bandeira da cultura tradicional do Amapá,
Danniela começou a cantar Marabaixo com 8 anos de idade incentivada por sua avó Tia Biló. Ela também é compositora e até hoje já compôs 49 ladrões de Marabaixo e já participou de inúmeros Festivais realizados em nosso estado.
Danniela também é membro titular do Conselho Gestor do Marabaixo no Iphan e contribuiu para a elaboração do inventário do Marabaixo que garantiu sua aprovação e seu registro como Patrimônio Histórico Imaterial do Brasil em 2018.
Danniela Ramos, por esses feitos e por sua força ancestral, foi justamente homenageada e empossada como Acadêmica Imortal da Academia Amapaense de Batuque e Marabaixo - AABM, em março de 2018.
Ela também é muito engajada no Samba. Já foi vice presidente da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho (sua grande paixão) por dois mandatos, diretora social e desde 2020 é a atual Diretora Geral de Carnaval da escola.
 
 
 
 

NEWSLETTER

Receba nossas notícias em seu e-mail ou celular.

SECULT - Secretaria de Cultura do Estado do Amapá
Av Pedro Lazarino n° 22 Bairro: Santa Inês - CEP. 68900- 083 - (96) 9919-9396 - secult@secult.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2021 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá